Wikia

Assassin's Creed BR Wiki

Ezio Auditore da Firenze

879páginas
nesta wikia
Comentários24
Eraicon-AC2Eraicon-DiscoveryEraicon-BrotherhoodEraicon-Project LegacyEraicon-RevelationsDYLEraicon-RenaissanceEraicon-Brotherhood bookEraicon-Revelations bookEraicon-Secret CrusadeEraicon-French ComicEraicon-LineageEraicon-AscendanceEraicon-EmbersEraicon-goodEra-ACiEraicon-Recollection



Ezio Auditore da Firenze
ACAnniversary-Ezio Render
Nome: Ezio Auditore da Firenze

Altura: 1,87m

Biografia
Data de Nascimento

1459, Florença

Data da Morte

1524, Florença

Afiliação
Filiação
  • Assassino.
  • Família Auditore.
Info do Mundo Real
Aparece em

Assassin's Creed Lineage
Assassin's Creed II
Assassin's Creed: Brotherhood
Assassin´s Creed: Revelations
Assassin's Creed II: Discovery
Assassin's Creed: Lost Legacy
Assassin's Creed: The Fall
Assassin's Creed III(É citado)

Modelada apartir de

Francisco Randez

Dublador(a)

Roger Craig Smith


"Eu vivi minha vida o melhor que pude, sem saber seu propósito, mas sendo atraído para frente como uma mosca para uma lua distante; e aqui a final, eu descubro uma estranha verdade. Que eu sou apenas um conduíte, para um mensagem, que elude o meu entendimento."
―Ezio
Ezio Auditore da Firenze (24 de Junho de 1459 - 30 de Novembro de 1524) foi um nobre Florentino durante a Renascença, e, sem ser conhecido pela maioria dos historiadores e filósofos, o Mentor da Irmandade dos Assassinos Italianos, um título cujo ele manteve de 1503 até 1512. Ele é também um ancestral de William e Desmond Miles, e também de Clay Kaczmarek.

Um membro da Casa de Auditore, Ezio remanesceu inconsciente de sua herança Assassina até seus 17 anos, quando ele testemunhou o enforcamento de seu pai e seus irmãos, Federico e Petruccio. Forçado a partir de sua cidade natal com sua família restante - sua mãe e irmã - Ezio se refugiou na cidade da Toscana de Monteriggioni, na Villa Auditore.

Depois de aprender sobre sua herança Assassina com seu tio, Mario Auditore, Ezio iniciou seu treinamento Assassino e definiu sua busca por vingança contra a Ordem Templária, e seu Grão-Mestre, Rodrigo Borgia, cujo havia ordenado a execução de seus parentes.

Durante suas viagens, Ezio conseguiu não só reunir as páginas do Codex, escrito por Altaïr Ibn-La'Ahad, Mentor dos Assassinos Levantinos, mas também salvar as cidades de Florença, Veneza e Roma do comando Templário.

Ele garantiu as futuras viagens de Cristóvão Colombo ao "Novo Mundo", liberou Roma do comando dos Borgia, e preveniu a ascensão do poder do Culto de Hermes de Ercole Massimo, ajudando a espalhar os ideais da Renascença e dos Assassinos de independência e livre-arbítrio por toda a Itália.

Nos anos que se seguiram, Ezio começou uma busca para redescobrir a história perdida da Ordem. Viajando para a antiga fortaleza de Masyaf para aprender mais sobre os Assassinos que vieram antes dele, ele descobriu que ela estava cheia de Templários e foi até a cidade de Constantinopla para achar a localização das chaves de Masyaf que como ele havia descoberto, iriam abrir a lendária biblioteca secreta da fortaleza quando postas juntas.

Uma década mais tarde, Ezio se aposentou e morou em uma vila Toscana com sua esposa, Sofia Sartor, e seus dois filhos; Flavia e Marcello. Algum tempo depois de ter ajudado a ensinar a Assassina Chinesa Shao Jun os caminhos da Ordem, Ezio morreu de um ataque cardíaco com 65 anos, durante uma visita a Florença com sua esposa e filha.

Sua vidaEditar

Vida em Florença Editar

Ezio nasceu na República de Florença em 24 de Junho de 1459 (a Itália estava dividida em várias cidades-estados independentes uma das outras e só se unificaria no século 19, durante o Renascimento, as cinco principais potências na península Itálica eram: o Ducado de Milão, a República de Veneza, a República de Florença, o Reino de Nápoles e os Estados Pontifícios), como o segundo filho de Giovanni e Maria Auditore. Ao nascer ele parecia estar morto, mas, depois de algumas palavras de encorajamento de seu pai, ele começou a chorar, levando seu pai a chamá-lo de "um lutador".

Até a idade de 17, Ezio viveu uma vida de luxo em meio aos membros da classe nobre de Florença, ele foi aluno do famoso banqueiro Giovanni Tornabuoni, que trabalhou ao lado de Giovanni Auditore nas atividades bancárias, mas Ezio passou o tempo todo sem saber da lealdade de seu pai para com a Ordem dos Assassinos.

No ano de 1476, Ezio, seu irmão mais velho Federico, e amigos lutaram contra Vieri de 'Pazzi e sua gangue. Pouco antes da luta, Ezio recebeu um corte em seu lábio - causada por uma pedra atirada por Vieri - que se cicatrizaria e permaneceria para o resto de sua vida.

Durante a briga, Ezio derrubou vários membros da gangue adversária, mas Vieri conseguiu fugir do local antes de Ezio poder fazer qualquer coisa para ele. Depois de saquear várias pessoas que haviam deixados inconscientes pela luta, os dois irmãos correram para os telhados para encontrar alguma ajuda médica para Ezio por causa de seus ferimentos.

Depois que o médico tratar a sua ferida, uma igreja próxima chamou a atenção dos irmãos, e Federico sugeriu uma corrida. Ezio ganhou, como ele conseguiu chegar ao topo mais rápido, e juntos os dois olharam para a cidade. Apesar da desaprovação de Federico, Ezio fez o seu caminho para a casa de sua namorada Cristina Vespucci e passou a noite com ela.

Embora flagrado pelo pai de Cristina na manhã seguinte, Ezio fugiu de um grupo de guardas que o perseguiram antes de se encontrar com seu pai no Palazzo Auditore. Giovanni repreendeu-o pelas suas atitudes irresponsáveis, mas depois suavizou, admitindo que as ações de seu filho lembravam ele mesmo em sua própria juventude. Ele então perguntou a Ezio por sua ajuda em uma missão no final do dia.

Uma vez que Ezio tinha voltado para casa, o irmão mais novo de Ezio Petruccio perguntou se ele poderia recolher penas de águia a partir dos telhados, com a promessa de voltar para a cama mais cedo, pois ele estava doente. Depois de uma busca cansativa pelas penas, Ezio as entregou a seu irmão mais novo, embora Petruccio disse que o propósito das penas era segredo.

Mais tarde, Ezio encontrou sua irmã Claudia em um estado perturbado, chorando em um banco em sua casa depois de descobrir que seu namorado, Duccio de Luca, tinha sido infiel. Depois de obter o seu paradeiro, Ezio rastreou e se envolveu em uma briga com Duccio, antes de avisá-lo para ficar longe de sua irmã.

Ao retornar ao palácio, mais uma vez, a mãe de Ezio pediu que lhe ajudasse em pegar algumas pinturas de um novo artista que ela apadrinhado, Leonardo da Vinci. Na caminhada, o jovem artista em início de carreira Leonardo da Vinci iniciou uma conversa com Ezio, iniciando uma amizade entre os dois homens jovens que duraria pelo restos de sua vidas.


Execução dos Auditore Editar

Depois de terminar de ajudar sua mãe, Ezio voltou para Giovanni, que pediu que ele entregasse duas cartas para seus contatos na cidade, antes de recuperar uma terceira carta de um pombal não muito longe da casa.

Ezio concordou, e depois de dois encontros estranhos com as pessoas que ele havia entregue as cartas, Ezio pegou a carta no pombal apenas para testemunhar guardas que atravessavam Florença.

Ezio voltou para casa para encontrar sua casa saqueada, seu pai e irmãos desaparecidos, e sua mãe e irmã em um esconderijo. Aprendendo que oss guardas da cidade tinham condenado a prisão Giovanni e todos os seus filhos, Ezio fez o seu caminho ao Palazzo della Signoria, onde estavam presos seu pai e irmãos.

Escalando o edifício e falando com seu pai através da janela da sua cela, Ezio foi instruído para encontrar um baú escondido em seu escritório, tirar tudo dele, e entregar uma carta selada para Uberto Alberti, Gonfaloniere de Florença e um amigo próximo da família Auditore. Fazendo isso, Ezio encontrou vestes de seu pai Assassino, uma Lâmina Oculta quebrada, e uma carta contendo detalhes de uma conspiração contra a cidade de Florença e da família Auditore.

Ezio trouxe os documentos incriminatórios para Uberto, e foi assegurado que sua família seria libertada no dia seguinte, quando a informação fosse apresentada como prova de sua inocência. Ezio em seguida, viajou para a casa de Cristina Vespucci, onde passou a noite mais uma vez.

No dia seguinte, Ezio voltou para a Piazza della Signoria para encontrar Uberto presidindo a execução de sua família.

Giovanni declarou sua inocência, citando a informação dada a Uberto como prova, mas o Gonfaloniere negou qualquer conhecimento de tais informações. Ezio gritou que Uberto estava mentindo, mas os seus esforços para impedir a execução acabaram em vão.

Ezio só podia assistir, impotente na multidão seu pai e irmãos sendo enforcados. Quando ele tentou chegar até a forca para vingar sua família, Uberto ordenou que os guardas da cidade para matá-lo.

Por insistência de um dos amigos de Giovanni, um ladrão, Ezio fugiu da Piazza della Signoria e buscou abrigo em um bordel administrado pela irmã da empregada dos Auditore, uma cortesã chamada Paola.

Paola, que - sem o conhecimento de Ezio - era uma Assassina ela mesma, concordou em ajudar Ezio em sua busca por vingança, ensinando-o a sobreviver na cidade como um fora da lei através de furtos e se misturando na multidão. Levou Ezio para Leonardo da Vinci para reparar a Lâmina Oculta de Giovanni, embora ela não percebeu que Ezio estava sendo vigiado.

Depois de Leonardo reparar a lâmina, um guarda bateu na porta e ordenou Leonardo sair antes de começar espancar-lo para obter a localização de Ezio dele. Ezio percebeu que algo estava errado e aproximou-se por trás do guarda, assassinando-o.

Depois de Leonardo lhe agradecer, Ezio procurou e assassinou Uberto no pátio da Basílica di Santa Croce, durante a mais recente exposição do escultor, pintor e ourives Andrea del Verrocchio.

Uma vez que ele tinha feito o seu caminho para o pátio, Ezio atacou Uberto em uma raiva frenética, esfaqueando-o várias vezes no peito, antes de orgulhosamente proclamar a sobrevivência da família Auditore, no meio da multidão.

Depois de matar Uberto, Ezio tomou os documentos que o Gonfaloniere tinha escondido dele e de seu pai, bem como uma carta de Uberto para sua esposa e filho. Ezio decidiu que ele iria fazer com que ela recebesse a carta, não querendo afundar a nível de Uberto.

Em MonteriggioniEditar

Agora, como o homem mais procurado da Itália, Ezio foge da cidade com sua mãe e irmã, na esperança de fazer o seu caminho para a Espanha, parando antes na cidade de Monteriggioni para se abrigarem. Durante sua viagem a Monteriggioni, os três foram abordados por Vieri de' Pazzi e seus seguidores, mas foram salvos pela chegada oportuna do tio de Ezio, Mario Auditore, e seus mercenarios. Mario informa a Ezio da existência dos Assassinos, em uma tentativa óbvia de junta-lo à Irmandade, revelando que muitos dos seus antepassados, incluindo Giovanni, faziam parte dela. No entanto, Ezio recusou sua ancestralidade, desejando apenas continuar a sua viagem para a Espanha para garantir a sua mãe e irmã segurança. Enfurecido, Mario deixou Monteriggioni em direção a cidade de San Gimignano, onde Vieri de' Pazzi havia sido localizado, na tentativa de aliviar Monteriggioni de agressões contínuas por seus asseclas. Culpado, Ezio viaja para San Gimignano para aceitar a oferta de Mario.

AssassinsCreedIIGame 2010-09-23 09-04-21-19

Francesco de' Pazzi morto.

Quando Ezio chega na cidade, ele se junta a Mario e seus mercenários em seu ataque, esperando até o anoitecer para fazer seu caminho até Vieri de' Pazzi, matando os guardas que guardavam os portões da cidade, silenciosamente. Depois de testemunhar um breve encontro entre Rodrigo Borgia, Jacopo de' Pazzi, Francesco de' Pazzi e Vieri, enquanto que Mario e seus mercenários mantinham os bandidos de Vieri distraídos, Ezio desafiou e enfrentou Vieri, acabou dominando e matando-o depois de um breve duelo. Ezio tentou extrair uma confissão de seu velho inimigo, mas não adiantou, com Vieri escolhendo ser sarcástico até o fim. Enfurecido com isto, Ezio fica furioso e insulta o cadáver de Vieri, continuando até que seu tio o acalme, e lembrou de uma tradição dos Assassinos: demonstrar respeito àqueles que mataram.

Após a morte de Vieri e treinamento com seu tio, Ezio retorna à Florença, em 1478 para coletar informações de La Volpe e impedir a planejada Conspiração dos Pazzi, bem como as mortes de Lorenzo de' Medici e de seu irmão Giuliano. Chegando tarde demais para salvar Giuilano, Ezio conseguiu impedir a morte de Lorenzo, o governante de Florença, e restaurar o bom nome da família dele. No entanto, os Pazzi já tinham sucedido seu plano e levaram a cidade em estado de guerra civil. Após escoltar Lorenzo para a segurança no seu palácio, Ezio aprendeu com o tenente de Lorenzo, Poliziano, o local onde Francesco de 'Pazzi estaria na Piazza della Signoria. Com as tropas de Medici vs Pazzi lutando nas ruas abaixo deles, Ezio perseguiu e matou Francesco, apesar de que Jacopo de' Pazzi e vários outros conspiradores foram capazes de escapar da cidade. Pouco depois, Lorenzo publicamente perdoou o nome da família Auditore e deixou com Ezio Auditore os nomes dos conspiradores que haviam escapado. Antes de ir matar os Pazzi, ele conversa com Lorenzo, e pouco depois vai até seu palácio, que foi invadido e o salva de novo.

Ezio soube que os conspiradores Pazzi tinham fugido para San Gimignano, Ezio perseguiu e matou Antonio Maffei, Stefano da Bagnone, Bernardo Baroncelli e Francesco Salviati, extraindo informações de cada homem de 'Pazzi, que seria o esconderijo de Jacopo. Usando as informações, Ezio localiza sua presa e segue Jacopo até um antigo teatro romano em ruínas. Uma vez lá, Ezio intercepta uma reunião entre Jacopo, Rodrigo Borgia e um mercador veneziano, Emilio Barbarigo. Depois de ferir fatalmente Jacopo por seu fracasso em capturar Ezio Auditore, Borgia revelou que ele estava ciente da presença de Ezio. Enquanto Rodrigo e Emilio fugiam, Ezio foi preso por seguranças de Borgia, mas ele dominou e matou-os, acabou com a agonia de Jacopo, matando-o.

Em VenezaEditar

Quando a conspiração Pazzi terminou, Ezio voltou para Lorenzo em 1480 e declarou o seu sucesso. Antes de deixar a cidade de Monteriggioni, Ezio foi concedido um presente, uma capa de Medici, que manteria os guardas da cidade em atenção com ele, o protegendo por ser amigo da família Medici. Ezio em seguida, fez o seu caminho para a oficina de Leonardo da Vinci , só para descobrir que ele tinha acabado de sair para Veneza. Encontrou com Leonardo nas Montanhas Alpinas, Ezio acompanhou-o até a cidade de Forlì, conseguindo evitar os soldados enviados por Rodrigo Borgia.

Ezio carrying rosa

Ezio carregando Rosa.

Finalmente chegando em Forlì, um ano depois, os dois fizeram o seu caminho para as docas da cidade, onde Ezio foi recusada a passagem sem um passe.  Foi nesse momento que os dois ouviram os gritos de uma senhora nobre, ilhada. Ezio rapidamente se apressou a resgatá-la e foi capaz de levar a mulher em terra. A senhora se apresentou como Caterina Sforza e obrigou a dar passagem a Ezio em Veneza. Em Veneza, Ezio e Leonardo receberam uma breve turnê da cidade por Alvise antes Ezio de começar a buscar um caminho para o Palácio de Emilio Barbarigo, embora este esforço se mostrou em vão. De repente, se afastou, Ezio foi visto com um bando de ladrões e tentou e não conseguiu subir o Palazzo, levando Ezio para posteriormente ajudar a ladra Rosa, que havia sido atingida na perna por uma flecha. Após o sucesso na fuga dos guardas da cidade, Ézio foi apresentado ao líder da casa dos ladrões venezianos, Antonio, e juntos, eles elaboraram um novo plano para matar Emilio Barbarigo e liberar a área comercial.

A trama, que terá lugar durante 4 anos, foi um sucesso e deu Ezio o nome de outro conspirador Templário - Carlo Grimaldi. Um funcionário do governo e membro do Conselho dos Dez, Carlo estava próximo de Giovanni Mocenigo, Doge de Veneza, e esperava para converter-lo para a causa dos Templários. Ao ouvir uma outra reunião entre os Borgia e Carlo, Ezio descobriu uma trama para envenenar o Doge e substituí-lo por Marco Barbarigo. Voltando a Antonio, ele procurou encontrar um caminho para o Palazzo Ducale. A dupla procurou os portões da frente, as paredes de trás e, mesmo passando por cima da Basílica de San Marco, mas eles foram prejudicados em cada turno. Voltando para a praça abaixo, um enfurecido Antonio comentou que as aves só podem entrar no palácio do Doge, lembrando Ezio da máquina voadora de Leonardo, que ele havia visto a caminho de Forlì. Após um teste de vôo sem sucesso, Leonardo garantiu que seu plano iria dar certo.

Depois de retirar os guardas da cidade em quatro locais distintos, os ladrões de António acendeu fogueiras
OgAAAFjvu1aQS3qbcKh0lteDoWGdPTXv0iBGkDt7x2i0Z2n4DV01 afK658BpQKkAkBGJeLFSuzJ2StCXlS7lJfCeZQAm1T1ULMW7T5G71oLoJuqYjs5FPYOv0KK
enormes em toda a cidade, dando Ezio os elevadores para a máquina voadora de Leonardo, necessários para leva-lo para o Palácio Ducal.O plano funcionou, e Ezio entrou no Palácio Ducal, embora fosse muito tarde para salvar o Doge. Carlo fugiu do local, gritando que Ezio tinha assassinado o Doge, apenas para satisfazer seu próprio fim, pouco depois Ezio o matou. No entanto, Ezio agora era o homem mais procurado em Veneza e foi forçado a fugir dos guardas da cidade.

Voltando a oficina de Leonardo em busca de ajuda em 1486, Ezio foi direcionado para Teodora dona de um bordel, onde Antonio estava escondido. Disfarçado para o carnaval (com uma mascara e capa do carnaval), Ezio fez o seu caminho para o bordel e começou a planejar a morte de Marco Barbarigo, competindo nos quatro jogos do Carnevale para ganhar a máscara de ouro que ele faria ele ganhar entrada para festa privada de Marco. Ezio conseguiu, mas descobriu que o primo de Marco, Silvio Barbarigo seu guarda costas,deu a mascara a Dante Moro . No entanto, Ezio foi bem sucedido em recuperar a máscara de Moro e conseguiu se infiltrar na festa pessoal do Doge e assassinar Marco com a Pistola Oculta, deixando vaga aberta para Agostino Barbarigo, que não é envolvido com os Templários, e um aliado de Antonio, para legitimamente se tornar Doge.

Com sua busca pelos nove quase no fim, Ezio rastreou Silvio Barbarigo e Dante Moro, que tinham ocupado o Arsenal de Veneza com um exército de mercenários.

Precisando de uma tropas para invadir o Arsenal, Ezio foi direcionado para o líder mercenário, Bartolomeo d'Alviano, só para encontrar os capangas de Silvio atacando a sede da Bartolomeo, capturando ele e seus soldados no processo.

Ezio rapidamente liberta Bartolomeo e seus soldados, e uma vez que Bartolomeo viu o propósito de Ezio, ele foi mais do que disposto a ajudar na destruição de Silvio.

Tendo investigado os Templários no Arsenal, Ezio conseguiu invadir o prédio com a ajuda de Bartolomeo e seus homens, e matar Dante Moro e Silvio Barbarigo na batalha que se seguiu.

No entanto, ele ficou surpreso ao saber que o plano para remover o Doge era apenas uma distração, de modo que os Templários podia mover seu navio para o Chipre, embora as razões para isto permaneceria desconhecido para Ezio por algum tempo

Dois anos se passaram desde o caso com o navio Templario, quando Rosa trouxe-lhe uma mensagem detalhando o retorno do navio naquele mesmo dia. Entrou de fininho, Ezio viu que um soldado carregava uma Piece of Eden que desembarcava do navio e fez o seu caminho até uma base na cidade dos Templários. Ezio assassinou o soldado e se vestiu como ele, levando a Apple, para uma reunião com o próprio Rodrigo Bórgia. Finalmente capaz de confrontar o principal responsável pela morte de seu pai e irmãos, Ezio criticou o Grande Mestre Templário para o não aparecimento do suposto "profeta" dito no Codex. Borgia respondeu orgulhosamente nomeando-se o profeta antes de se envolver em uma batalha com Ezio. A batalha foi curta, e Ezio facilmente superou o Templário. Depois chamou os guardas da cidade para ajuda-lo, e disse que "seu povo" não aparece para ajuda-lo.

Neste exato momento Mario Auditore, Antonio, Paola, Teodora, La Volpe e Bartolomeo d'Alviano apareceram, fazendo Rodrigo fugir. Com a chegada de Nicolau Maquiavel, que foi revelado a Ezio que ele era de fato o suposto "profeta", e que na década passada todos tinham trabalhado juntos para empossar Ezio na Ordem dos Assassino. Naquela noite, todos eles se encontraram novamente e Ezio foi formalmente introduzido na Ordem.

Em ForlìEditar

500x assassins creed 2 dlc
Logo após sua indução, Ezio reuniu-se com Mario e Niccolò, e viajou para o estúdio de Leonardo da Vinci , esperando que ele pudesse lançar alguma luz sobre o estranho artefato que Borgia havia chamado de "Apple". Leonardo examinou o dispositivo original, comentando que o metal era feito de algo que não deveria existir, e que seu projeto foi altamente avançado apesar da sua idade. Resumidamente ao tocar a Apple, Ezio acidentalmente ativou o dispositivo, que começou a brilhar e mostrar estranhas imagens holográficas. Depois da desactivação do dispositivo, Niccolò anunciou que ele tinha arranjado um local para a Piece of Eden ficar segura, protegida por uma aliada, a Caterina Sforza, uma assassina. Niccolò e Ezio reuniram-se com Caterina em Romagna, apenas fora da cidade de Forlì. Após uma breve discussão da Apple, os três fizeram o seu caminho de volta para a cidade, apenas para descobrir que ela tinha sido invadida pelos irmãos Checco e Ludovico Orsi

Como eles trancaram a porta, Ezio teve de arranjar outra forma de entrar.Alcançando o Rocca di Ravaldino, eles descobriram que dois dos filhos de Caterina, Ottaviano e Bianca, estavam nas mãos dos irmãos Orsi, que tinha chegado recentemente e começou a atacar a cidadela. Para pega-los de volta, Ezio deixou a PoE com Caterina.

Zw-bof7

Ezio perdendo a PoE.

Fazendo seu caminho em Romagna, Ezio libertou Bianca, e dirigiu a seu irmão Ottaviano. Como Bianca fugia de volta para a cidade, Ezio fez o seu caminho até Ottaviano , que estava sendo preso pelo próprio Ludovico. Escalando a torre, Ezio mata Ludovico e liberta Ottaviano, embora não antes de saber que o seqüestro foi uma distração, que havia permitido os irmãos para roubar a Apple. Ezio rapidamente persegue e mata Checco Orsi e seus homens restantes. Recuperando a Apple, Ezio não percebeu que Checco o esfaqueou no abdômen. Ferido, Ezio desabou no chão, deixando a Apple cair de sua mão. Antes de perder a consciência Ezio vi um monge com um dedo faltando pegar a Apple e ir embora.

Guardas de Caterina o encontraram mais tarde ao lado do cadáver de Checco e o levaram de volta a Forli, onde Caterina cuidou dele de volta à saúde. Retornou ao seu sentidos, Ezio, agora barbudo, apressadamente explicou a Caterina que a Apple tinha sido roubada por um homem de preto. Ela o reconheceu como um monge e disse a Ezio para encontrar o monge na igreja fora das muralhas da cidade. Não havia nenhum sinal do monge, mas Ezio reuniu-se com o irmão O'Callahan, que lhe disse para continuar sua busca em San Vincenzo, em Forlì. O abade viu que Ezio era o assassino de Stefano da Bagnone e fugiu, mas foi interceptado e, uma vez convencido de que ele não estava prestes a morrer, deu a Ezio o nome do monge de nove dedos : Girolamo Savonarola.

Jornada na Espanha (Assassins Creed II: Discovery) Editar

Enquanto tenta localizar Savonarola, Ezio foi dito por um conhecido para se encontrar com Antonio na Guilda dos Ladrões em Veneza. Ao chegar lá, Ezio encontrou Antonio acompanhado por outro homem, Luis de Santángel, um homem que veio do Reino da Espanha, governado pela Rainha Isabel I de Castela e o Rei Fernando II de Aragão, os Reis Católicos. Luis estava à procura de um bom "matador" que pudesse supervisionar uma reunião envolvendo um amigo italiano de Luis, Cristoforo Colombo (Cristovão Colombo), mas Ezio expressou nenhum interesse.

No entanto, quando Ezio ouviu que Rodrigo Borgia também estava envolvido na reunião, ele correu para o local onde estava Colombo, descobrindo que era uma armadilha. No entanto, ele conseguiu salvar Colombo, que explicou que Rodrigo estava interessado em seus planos para navegar a oeste. Logo depois, Ezio reuniu-se com Antonio novamente, que lhe disse para ir ver ambos Luis e Columbus, no bairro dos jardins.

Eles, então, disse-lhe que os Templários estavam na posse do atlas de Colombo, que contava com a rota do percurso. Ezio recuperou rapidamente o atlas e trouxe-o de volta para Colombo e Luis. Luis informou Ezio da presença dos Assassinos Espanhóis, que foram mantidos em cativeiro pelo Inquisidor Geral espanhol, Tomás de Torquemada. Sentindo que era seu dever para resgatá-los, Ezio divergiu temporariamente de seu objetivo de recuperar a Apple of Eden e partiu para a Espanha, mas não antes de Antonio lhe dar os nomes de dois de seus contatos.

Depois de chegar na Espanha e brevemente perder a sua espada a um ladrão, Ezio reuniu-se com os contatos de Antonio, e foi direcionado para a Guilda de Ladrões locais. Quando ele chegou lá, no entanto, ele descobriu que ela estava vazia, apenas para ser emboscado por homens dos inquisidores.

Depois de fazer a sua fuga através dos esgotos, Ezio encontrou Rafael Sánchez, que se revelou ser um Assassino da Irmandade dos Assassinos Espanhóis. Raphael informa Ezio da localização do primeiro assassino capturado, e Ezio corre para salvá-lo. Logo antes de o assassino poder ser queimado pelos inquisidores, Ezio matou todos os guardas e libertou-o.

Após o retorno de Ezio, Raphael revelou que era Gaspar Martínez, que tinha sido encomendado para capturar os assassinos por Torquemada. Ezio localiza Gaspar e encontra Torquemada, e um guarda em torno de um assassino capturado.

Torquemada revela ao assassino capturado - e indiretamente para Ezio - que ele e o novo papa, Papa Alexandre VI (Rodrigo Borgia) tinham decidido capturar assassinos na Espanha, porque eles eram "não-crentes". Após a guarda matar o assassino, o grupo se desfez, e Gaspar foi deixado sem vigilância.

Ezio em seguida, reuniu-se com ele e perguntou o que ele sabia dos Templários, mas Gaspar fingindo não saber de nada lhe disse que eles "foram embora há dois séculos". Ele caiu silenciosamente pela lâmina de Ezio, Ezio adquiriu uma lista de nomes de seis outros assassinos capturados. Depois de libertar o primeiro homem na lista, Ezio levou-o de volta para Raphael, e informou-o da existência da lista. No entanto, todos os Assassinos restantes foram localizados em Zaragoza.

Uma vez em Zaragoza, Raphael disse para Ezio encontrar o inquisidor Pedro Llorente, cujo tribunal se reuniu no lado oposto da cidade. Chegando lá, Ezio descobriu que Torquemada também estava presente. Um dos assassinos estava sendo julgado, e depois que ele se recusou a converter e confessar, ele foi morto.

Ezio escutou a conversa que se seguiu, e se apressou para localizar os restantes cinco Assassinos. Quatro deles foram mantidos em cativeiro dentro de algumas catacumbas, com o ultimo preso dentro de uma igreja. Depois de garantir a sua segurança, Ezio matou Pedro Llorente.

Voltando a Raphael, Ezio pediu se ele poderia voltar para a Itália. No entanto, Raphael ainda precisava de alguma ajuda contra os inquisidores em Granada. Ezio cumpriu, ajudando a assassinar um espião Templario na cidade, e descobrindo ao longo do caminho que Luis Santangel também era um assassino.

Ezio Auditore da Firenze resgatou o rei de Granada, Maomé XII de um ataque de Templarios em seu palácio de Alhambra, e persuadiu-o para pôr fim à guerra contra Fernando e Isabel. Rainha Isabel, embora grata aos esforços de Ezio, ainda era incapaz de financiar a viagem de Colombo pois seus recursos ainda eram escassos. Além disso, ela revelou que o rei da França, Carlos VIII, tinha feito uma oferta a Colombo, embora Ezio rapidamente percebeu que era uma armadilha Templaria e resgatou Colombo. Luis de Santángel e Rafael Sanchez, ministro das Finanças de Fernando e Isabel, eventualmente persuadiu Isabel a financiar metade da viagem de Colombo, enquanto eles pagavam a outra metade.

Mais uma vez, Ezio planejava voltar para a Itália, mas foi perturbado pelos Templários. Ele foi forçado a lutar contra os Templários para defender Luis, e foi informado de que Raphael tinha sido capturado.

Ezio lutou para resgatar Raphael, e começou a se infiltrar na fortaleza de Torquemada. Depois de uma breve conversa entre Ezio e Torquemada, Torquemada fechou as portas na frente dele, impedindo Ezio de assassiná-lo.

Ezio voltou para Rafael e Luis, e disse que ele não acreditava que Torquemada foi ele próprio um dos Templários, mas apenas seguia cegamente a falsa pregação do novo Papa que assumiu em Roma, Rodrigo Borgia. Ezio em última análise, partiu para a Itália para continuar sua busca para recuperar a Apple of Eden, e disse a Luis e Rafael para informá-lo da viagem de Colombo para encontrar o Novo Mundo do atlas caso ele retornar-se.

The bonfire of the Vanities (a fogueira das vaidades)Editar

Após Ezio retornar da Espanha muitas coisas haviam mudado na Itália: o Rei Carlos VIII da França havia declarado guerra contra os italianos, o Imperador alemão Maximiliano I acaba entrando em conflito com o Rei da França e os Reis Católicos da Espanha decidem se aliar aos italianos nesta guerra contra os franceses (o Rei Manuel I de Portugal decidiu ficar de fora deste conflito pois não era do interesse do país, que estava mais interessado nas Grandes Navegações). No meio desta época de guerras ocorre a morte de Lorenzo de Medici e depois da morte de Lorenzo , o monge louco Savanarola foi capaz de facilmente assumir o controle sobre Florença com a Apple em seu comando. Ele ensinou a população de Florença que a propriedade pessoal e do conhecimento faz a diferença entre ricos e pobres. Portanto, ele queimou tudo relacionado ao Renascimento nesse bloco de memória.

Assacreed2 b15 451
Ezio e Nicolau Maquiavel queriam acabar com Savonarola, com a ajuda de seus dois companheiros na cidade, Paola e La Volpe . Ezio começou a eliminar a lavagem cerebral dos seguidores do monge, enquanto Nicolau, Paola, e Volpe organizaram um motim na cidade.

Ezio procurou Manfredo Soderini, o homem que havia se casado com Cristina Vespucci, e o encontrou quase morto após ser atacado por homens de Savonarola. Ezio apressadamente perguntou onde Cristina estava, e Manfredo respondeu que os homens tinham ido atrás dela.

Ezio conseguiu com sucesso matar os atacantes de Cristina, mas ela já havia sido gravemente ferida. Ela admitiu a Ezio que ela teria gostado deles possivelmente terem tido uma segunda chance, antes de morrer em seus braços.

Logo após Ezio matar os seguidores de Savonarola, os manifestantes formaram uma multidão enfurecida e foi para o Palazzo Pitti, onde residia Savonarola, exigindo o fim daquilo. Savanarola tentou usar a Apple para sufocar a revolta, mas antes que pudesse, Ezio jogou uma faca para ele, batendo a Apple de sua mão. No caos que se seguiu, a Apple foi pego por um guarda dos Borgia (os templários também estavam tentando, sem sucesso, recuperar a Apple a partir de Savanarola ). Ezio seguiu, matou-os e recuperou a Apple. Savonarola foi então condenado a ser executado da mesma maneira que ele tinha lidado com o conhecimento da cidade: queimado na fogueira sobre a Piazza della Signoria. No entanto, Ezio decidiu que ninguém deveria ter que morrer em agonia. O assassino pulou sobre a plataforma de execução e matou Savonarola . Ele então olhou para a multidão surpreendida e fez um discurso para eles, dizendo-os a seguir seu próprio caminho e a confiar em seus próprios pensamentos, não no que foi dito por aqueles no poder. Ele então saiu com Mario , Nicolau, Paola e La Volpe, pronto para descobrir as respostas escondidas dentro da Apple.

No VaticanoEditar

"Não, matar você não vai trazer meus pais de volta, está feito."
―Ezio para Rodrigo Borgia
Ezio Rome
No ano seguinte, em 1499, já com a guerra entre a França e as cidades-estados italianas, a Espanha e Alemanha terminada, os assassinos se reuniram mais uma vez na Villa Auditore, com a PoE e do Codex concluídos em mãos. Usando os dois objetos, eles descobriram a localização do Vault (cofre) e estava em Roma, mais especificamente, sob o Vaticano. Infelizmente, Rodrigo Borgia se tornou Papa em 1492, embora Mario acreditava que ele só tinha feito isso para ter acesso ao Quadro Pessoal do Papa, e outra das peças do Éden, já que Rodrigo era a pior pessoa possível para o cargo. Ezio foi para Roma assassinar Rodrigo Borgia

Luta todo o caminho até chegar a Capella Sistina e atacou Borgia de cima. Como ele estava prestes a enfrentar o golpe mortal, Borgia o surpreendeu usando a PoE para joga-lo para longe e drenar a energia dos que estão no quarto. Como ele levava a Apple, ele era imune a efeitos do Cetro, e os dois se engajaram em um duelo. Ezio repetiu a história, usando a mesma técnica de Al Mualim utilizou em seu duelo contra Altair em 1191, criando ilusões múltiplas de si mesmo com a Apple. Ezio aparentemente superou Borgia, mas ele venceu. Borgia tomou a Apple, com Ezio esfaqueado no abdômen e deixou que ele morresse antes de fugir para o Vault. No entanto, as feridas de Ezio não foram fatais, e ele foi capaz de dar prosseguimento. Fora do Vault, Ezio assistiu como Borgia tentava em vão abrir. Ezio desafia e derrota em uma luta Borgia punho a punho, obtendo a posse de ambos as PoEs, mas recusando-se a tomar vida Borgia, tendo percebido a inutilidade da vingança.

Ao entrar no Vault, Ezio ficou em estado de choque quando ele foi confrontado por um holograma de um indivíduo de nome "Minerva" e afirmando ser um dos "aqueles que vieram antes". Ezio foi ainda mais confuso quando o holograma procurava falar com uma figura invisível chamada Desmond, antes de desaparecer abruptamente, deixando Ezio com muitas perguntas sem respostas.

Assassin's Creed BrotherhoodEditar

Sem título

Ano de 1500, o novo Rei da França Luís XII, buscando vingança pela derrota dos franceses na guerra anterior se alia aos Estados Papais e declara guerra as cidades-estados italianas, que recebem novamente apoio dos Reis Católicos da Espanha, sendo que o Imperador da Alemanha decidiu ficar de fora deste conflito (curiosidade: é o ano em que o navegador português Pedro Alvares Cabral descobriu o Brasil, enviando uma carta sobre a descoberta da nova terra ao Rei Manuel I). De volta a Monteriggioni, Ezio é surpreendido por um ataque das tropas papais lideradas por Cesare Borgia, duque italiano filho do papa Alexandre VI (Rodrigo Borgia) que aproveitando a guerra atacou a cidade. Sendo pegos de surpresa a defesa da cidade tenta atrasar as tropas papais, através do uso de canhões até que toda a população fuja. 

Mario, que estava em posse da PoE vai para a linha de frente enfrentar as tropas que invadiram a cidade onde acaba sendo morto por Cesare que captura o pedaço do Éden. Ao mesmo em que Mario era morto, Ezio é baleado nas costas por um soldado de Cesare que usava um novo tipo de arma e perde a consciência.  Após recuperar a mesma, ele ajuda alguns mercenários a retirarem o resto dos habitantes da cidade através do Santuário. Ezio pede que sua família fuja para Florença enquanto ele se encaminha para Roma para enfrentar Cesare e recuperar o PoE. Porém, ainda não totalmente recuperado de seu ferimento da bala, Ezio acaba desmaiando no caminho. Ele acorda já em Roma na casa de uma estranha que diz que  o homem que o levou até lá pediu que ele se encontrasse com Niccolò Machiavelli.

No caminho para encontrar com Niccolò Ezio escuta a conversa de dois guardas que estavam ferindo um civil inocente que estava “causando problemas”, seguindo os guardas e ajudando o civil Ezio fica sabendo que a esposa do mesmo havia sido executa por um aliado dos Borgia. Ezio encontra esse aliado e o elimina, continuando seu caminho para encontrar Niccolò.

Fabio ezio e niccolo

Ezio, Fabio e Niccolò

Uma vez com Niccolò, Eizo é apresentado a Fabio Orsini, primo de Bartolomeo d'Alviano que servia nas tropas de Cesare. Fabio cedeu aos Assassinos um velho deposito na sua Ilha Tiberina esperando que um bom uso seja feita da mesma.  

A partir daqui, Ezio viajou para a Rosa in Fiore em uma tentativa de reunir o apoio das cortesãs da cidade. Quando ele chegou no entanto, ele descobriu que madonna Solari, a chefe do bordel, havia sido sequestrada pela Cento Occhi, jagunços de Cesare, e estava sendo mantida como refém.

Reunindo os fundos necessários, Ezio fez o seu caminho para a localização dos seqüestradores, apenas para ser traído. Madonna Solari foi morta, e o Cento Occhi atacou Ezio. Ezio sobreviveu à emboscada e voltou para a Rosa in Fiore para descobrir que estavam sua mãe e irmã lá. Sem ninguém para servirem, as cortesãs pediram para Claudia Auditore para atuar como sua senhora, com um Ezio muito relutante concordar com a sua nomeação.

Ezio em seguida, decidiu conseguir o apoio dos ladrões romanos sob La Volpe, que estavam sofrendo nas mãos do Cento Occhi, e os mercenários de Bartolomeo, que estavam sob o ataque dos franceses.

Ele descobre que os Assassinos estão falhando na luta contra a corrupção. Determinado a resgatar a Irmandade, Ezio convence Machiavelli que ele tem o que é preciso para liderar durante a montagem de uma Irmandade poderosa o suficiente para destruir os Templários e seu novo inimigo, Cesare.

Em 1500, Nicolau Copérnico compartilhou seus ensinamentos a uma multidão dentro do Palazzo Senatorio, em desafio claro aos desejos dos Templários. Como Ezio chegou, guardas do Vaticano chegaram para matar Copérnico, e impedir que seus ensinamentos se espalhassem. Ezio salvo Copérnico, e acompanhou-o até um pequeno esconderijo fora do Coliseu.

Copérnico, querendo avisar os outros estudiosos em Roma, deu cartas a Ezio para entregar a eles antes que eles fossem assassinados pelos guardas. Embora já era tarde demais para um dos estudiosos, os outros conseguiram escapar.

Após o retorno de Ezio, Copérnico chegou à conclusão de que era o Mestre do Sagrado Palácio, um homem nomeado pelo Papa para manter a filosofia de Roma pura, que ordenou suas mortes. Ezio segue um cardeal para uma reunião com o Mestre, e ouviu-os discutir que cinco dos melhores guardas de Roma estavam saindo para lidar com a situação.

Ezio matou cada um dos cinco carrascos, e em seguida comunica a Copérnico. Apesar do perigo a seu próprio bem-estar, Copernicus informou que ele estaria indo para fora naquela noite para narrar um eclipse lunar.

Ezio retornou a Roma e matou o Mestre com sua Hidden Blade, mas com suas últimas palavras, o Mestre revelou que os guardas já estavam a caminho para matar Copérnico, e que era tarde demais. Sob o eclipse, Ezio correu de volta para Copérnico a tempo de protegê-lo dos guardas.

Depois, Copernicus espectáculo Ezio com algumas de suas descobertas, e, em seguida, agradeceu a Ezio, com os dois concordando em seguir caminhos separados.

Durante os próximos quatro anos, Ezio executa tarefas destinadas a paralisar o poder dos Borgias na capital italiana, sabotando recursos de Cesare e assassinando pessoas-chave próximas e / ou que trabalham com ele no processo, e lentamente restaurando Roma à sua antiga glória. Ezio então, fez a cabeça da Ordem e é promovido ao posto de Il Mentore (italiano para "O Mentor"). Durante este tempo, a irmã de Ezio Claudia é feito um assassino.

Cesare, devido as ações de Ezio, confronta seu pai desconfiado e desesperadamente pede mais dinheiro e a própria Apple. Rodrigo, que havia se tornado uma sombra do homem que um dia já foi, se recusa e tenta envenená-lo, percebendo que a luxúria de Cesare para poder não podia ser parada. Cesare, no entanto, vira o jogo com seu pai e mata-o em seu lugar. Ezio testemunha isso e, depois de saber da localização da Apple, recupera-a de dentro da Basílica de São Pedro. Ezio usa-a para suplantar as forças de Cesare e retirar o apoio de seus partidários; Cesare é finalmente preso pelo exército papal do Papa Júlio II, que quer limpar a Igreja da corrupção da família Borgia, depois de Ezio e os assassinos confrontarem Cesare e matar seus seguidores remanescentes.

Com os franceses novamente derrotados pelas cidades-estados italianas a paz volta a Itália em 1504.

Ano de 1506, após a queda dos Borgia em Roma, Leonardo da Vinci foi sequestrado pelos hermetistas, um culto subterrâneo dedicado a "transformar a humanidade." A fim de encontrar o inventor e amigo, Ezio Auditore da Firenze embarcou em uma busca incessante para recuperar pinturas roubadas de Leonardo, que aparentemente havia descoberto a entrada de um templo escondido que os hermetistas desejavam. Locais que Ezio viajou para incluía o Castelo de Beriguardo, onde encontrou Lucrezia Borgia, e o Templo de Pitágoras. No Templo de Pitagoras Ezio e Leonardo descobrem um estranho código e não conseguem o desvendar (mais tarde, no século 21, descobre-se que o código era as coordenadas do Grande Templo, próximo a cidade de Nova Iorque, atual Estados Unidos)

Ezio usa a Apple mais uma vez para verificar Cesare, que foge da prisão a qual tinha sido transferido na Espanha em 1506 e estabeleceu um cerco em Viana, uma pequena cidade em Navarra, Espanha, em uma tentativa de ajudar em uma conspiração para derrubar o Rei da Espanha. No ano de 1507 Ezio encontra Cesare nas ameias de um castelo em ruínas e luta com ele. Cesare afirma que ele não pode ser morto pela mão de um homem mortal, incitando, assim, Ezio para deixá-lo "nas mãos do destino", deixando o cair das muralhas em direção a sua morte. Ezio em seguida, leva a Apple e a esconde em outro templo construído debaixo de Santa Maria em Aracoeli.

Em Assassin's Creed RevelationsEditar

No AcreEditar

No ano de 1511, em busca da verdade Ezio parte em uma viagem para a Terra Santa para descobrir qual o seu verdadeiro papel na história, a fim de encontrar uma antiga biblioteca que guarda todos os segredo e conhecimento dos Assassinos.

Ao chegar em Acre ele é acolhido e alimentado pelo povo da lá, e toma conhecimento que a estrada até
Assassin's Creed Revelations Search for Truth - Trailer legendado03:22

Assassin's Creed Revelations Search for Truth - Trailer legendado

Masyaf está repleta de mercenários e bandidos, oe que o castelo foi abandonado e não é mais o lar dos Assassinos por mais de 300 anos, e foi invadida e ocupada pelos Templários.

Em MasyafEditar

Ezio ao chegar não é bem recebido,ele tem sua segunda Hidden Blade quebrada, sendo capturado e condenado a forca por Leandros, que faz questão de executar ele pessoalmente, colocando assim a corda em seu pescoço, mas com muita habilidade o velho Ezio consegue escapar com vida. Após recuperar suas armas ele continua em Masyaf a procurar a blibioteca, com a fragmentação das memórias do Desmond é visto um fantasma de Altair, Ezio o segue e encontra a entrada para a blibioteca, ele conversa com um escavador que tentava abrir a porta a meses, ela era feita do mesmo metal da Armadura de Altair, Ezio repara que são necessárias 5 chaves para abrir,o escavador então comenta com ele sobre um livro que estava em posse de Leandros.

Tumblr lmdvbd0giB1qblk80o1 500
Após persegui-lo Ezio finalmente consegue matá-lo, recuperando assim o livro cujo nome era La Crociata Segreta, em português A Cruzada Secreta, que na verdade era um diário escrito por Niccolo Pólo, que revela sobre as Chaves de Masyaf, chaves necessárias para abrir a blibioteca que foram espalhadas em Kostantiniyye junto com outros livros raros escondidos pela cidade. Ezio segue então para Constantinopla,afim de encontrá-los e acessar a blibioteca do Altair.

Em ConstantinoplaEditar

No caminho para Constantinopla, a capital do Império Otomano, ainda no navio ele conhece um jovem estudante chamado Suleiman que depois se revela sendo o Príncipe do Império Otomano, ainda no mesmo barco ele avista uma linda donzela, porem não conversa com ela. Mais tarde ele resolver ir até o antigo posto comercial de Niccolo, porem agora o posto era uma livraria da donzela que ele avistou no navio Sofia Sartor, ele procura por lá pistas para a primeira chave, então acha uma passagem secreta, intrigada Sofia pergunta aonde aquela passagem vai dar Ezio sem a resposta diz a ela que ira descobrir, adentrando assim pela passagem que o leva até uma caverna repleta de templários lá dentro ele encontra mais uma porta secreta, nessa porta há uma estátua portando a primeira chave de Masyaf e ao seu lado um mapa. Voltando para a livraria da Sofia os dois com muita curiosidade tentam descobrir o que há por traz daquele mapa, Sofia Sartor concorda em ajudar Ezio em sua aventura.

Em CapadóciaEditar

O mapa revela a localização de vários livros, e dentre eles mais três livros que revelam a localização de cada chave. Ele consegue recuperar 4 chaves, porem a quinta e ultima se encontra no poder dos Templários.Com a ajuda do Príncipe Suleiman e as informações passadas por Tarik Barleti antes de sua morte Ezio parte para Cappadocia atrás do ultimo herdeiro do trono do Império Bizantino, Manuel Palaiologos que agora estava associado aos Templários tramando uma conspiração para derrubar a família imperial otomana e recuperar o poder sobre Constantinopla e recriar o Império Bizantino, com ele como Imperador. Após sua morte Ezio recupera a chave porem Ahmet, tio de Suleiman assume o controle dos templários, aonde ele esta disposto a matar qualquer um para obter as chave e conseguir entrar no Grande Templo. Ahmet trama eliminar a concorrência de seu irmão o príncipe Selim e o filho de Selim, o jovem príncipe Suleiman, para que possa ser o herdeiro do trono de seu pai, o Sultão Bayezid I.

Em ConstatinoplaEditar

De volta a Constantinopla, após a luta final entre Ezio e Ahmet, o irmão de Ahmet, Selim, chega com seus soldados e já com o conhecimento dos planos do irmão, mata Ahmet, deixando Ezio, que havia conseguido resgatar Sofia, sozinho no local. Ele conta então a verdade para ela,sobre sua vida,sobre o credo,sobre os assassinos e o qual o seu objetivo. Nessa altura Ezio e Sofia já estavam muito “próximos”.

Em MasyafEditar

Os dois então vão para Masyaf juntos. Ezio usando a Eagle Sense resolve o enigma da porta da Biblioteca de Altaïr, porem ao entrar ele vê que esta vazia e a única coisa que esta lá é o esqueleto de Altair segurando o sexto selo. Ezio então diz:

640px-Eziodiscoversaltairsbody

- “Nada de livros, nada de sabedoria, só você, Altaïr”.

Ele pega o selo e revive a ultima memória onde Altair conversa e explica o porquê de ter criado uma biblioteca se não tinha intenção de guardar nenhum livro, e que o objetivo era criar um cofre pra ele guardar a sua Piece of Eden a maçã n° 2. Ezio finaliza essa memória e da sua Bênção final a ele.E vai em busca da maçã e ao vê-la ele diz:

- “Outro Artefato!? (ele estende seu braço para pega-lo mas desiste) Não isso deve permanecer aqui. Eu já vi o suficiente em uma vida”

Ezio finalmente entende o seu objetivo na historia e que ele só serviu como um conduite para transmitir algo maior, para algum outro lugar, ele chama o nome do Desmond e diz:

■ Ezio: Desmond?

■ Desmond:Ele está falando comigo?

■ Ezio: Eu ouvi o seu nome uma vez antes, Desmond, há muito tempo. E agora ele permanece em minha mente como uma imagem de um velho sonho. Eu não sei onde você está, ou por quais meios você pode me ouvir. Mas eu sei que você está ouvindo.

(Ezio tira suas armas e armadura e joga no chão)

■ Ezio: Eu tenho vivido minha vida o melhor que pude, mesmo sem saber sua finalidade, mesmo assim tenho-a puxad o ante como uma mariposa em uma lua distante.E aqui, finalmente, eu descobri uma verdade estranha. Que sou apenas um canal para uma mensagem que escapa a minha compreensão. Quem somos nós, que têmos sido tão abençoados para compartilhar nossas histórias assim como esta? Para falar através dos séculos? Talvez você vai responder a todas as perguntas que fiz. Talvez você vai ser o único a fazer alguma coisa para que todo esse sofrimento tenha valido a pena no final.

Uma imagem de Desmond aparece em holograma e Ezio toca em seu ombro.

■ Ezio: Agora ... ouça ...

Ocorre então uma sincronização Desmond então é levado para o Nexus,aonde recebe a mensagem que continha no selos

Em Assassin's Creed: EmbersEditar

Ezio e Sofia se casaram em Veneza. Eles tiveram uma filha, Flavia, em maio de 1513 , e depois um filho, Marcello, em outubro de 1514. Em 1524, Ezio já aposentado vivia com sua família em uma casa na região de Toscana. Lá, ele passou a dedicar o seu tempo estudando e escrevendo suas memórias, alem de cuida de sua vinha.

No ano de 1519, Ezio foi diagnosticado com infecção no peito, e como resultado desenvolvia uma tosse grave. Ele recebeu a visita de Machiavellii que revelou que seu amigo Leonardo da Vinci também estava doente e em breve viria a falecer. No mesmo ano o rei espanhol Carlos I, neto dos Reis Católicos da Espanha e também neto do Imperador alemão Maximiliano I, assume o trono do Sacro Império Romano Germânico, se tornando o Imperador Carlos V e no ano seguinte o príncipe Suleiman assume o trono do Império Otomano, se tornando o sultão Solimão o Magnífico... os dois homens mais poderosos da Europa. Notícias de que Carlos V enviou conquistadores para o Novo Mundo se espalham na Europa (com o Assassino Giovanni Borgia, filho bastardo de Lucrezia Borgia e neto de Rodrigo Borgia, acompanhando o conquistador Hernán Cortez em sua viagem ao Império Azteca). Imperador Carlos V e Solimão o Magnífico começam a se tornar grandes rivais.

Enquanto estes acontecimentos distantes ocorriam com pessoas que conheceram Ezio (como Suleiman) ou que eram parentes de pessoas que haviam o conhecido (como Carlos V e Giovanni Borgia), Ezio e sua esposa decidem viajar para Amboise, na França para a mansão Clos Lucé, onde Leonardo estava hospedado. Em algumas conversas com Ezio, Leonardo demonstrava vontade de sair da mansão e viajar para lugares como Inglaterra ou mesmo voltar para Veneza, onde ele esperava vender sua ideia de um submarino. Ezio e Sofia permaneceram na França por mais algumas semanas e visitaram Leonardo muitas vezes, pouco depois da partida do casal ele veio a falecer. Ezio soube que o Rei Francisco I da França espalhou uma história de que estava presente no leito de morte de Leonardo quando este morreu... mas Ezio comenta com Maquiavel que acredita que essa história não passava de uma propaganda política tosca do Rei da França para se auto-promover.

Um dia, em 1524, Sofia e Marcello foram visitar Claudia, deixando Ezio tomando conta de Flavia. Ezio estava colhendo suas uvas enquanto Flavia brincava,quando foi surpreendido por alguém usando um traje escuro com capuz abordando Flavia, ele correu ate eles pronto pra atacar ele segurou o estranho pelo colarinho mais acabou vendo a Insígnia dos Assassino em seu pescoço e assim recuou.

Em seguida o estranho se apresentou como Shao Jun uma jovem assassina chinesas, que viajou ate a Itália junto de seu Mentor para pedir os ensinamentos do antigo Grão-Mestre da Ordem dos Assassinos. No entanto Ezio se recusou a se envolver novamente com qualquer assunto sobre a Ordem, e tratou de a mandar embora, porem foi intervido por Sofia que tinha voltado da casa da Claudia, e permitiu que Jun passasse a noite em sua casa.

No dia seguinte Ezio foi surpreendido pela jovem assassina que se encontrava em seu escritório lendo uma de suas cartas, no inicio ele ficou muito zangado, mas depois concordou em passar alguns ensinamentos para que Jun pudesse unir novamente o seu povo. Mais tarde os dois foram atacados por um guarda em um beco em Amboise, voltando pra casa Ezio ordenou a sua família que deixasse o local e ficasse com Machiavelli com medo de algum a ataque em sua casa. Como Ezio previu algumas horas depois a sua casa foi atacada pelo guardas do Imperador Chinês, porem os dois foram capazes de enfrenta-los.

No dia seguinte Shao Jun se prepara para partir quando ganha um presente de  Ezio, era um pequeno baú, no qual só deveria ser aberto se ela se desviasse de seu caminho. Em suas últimas horas, Ezio decidiu ir para Florença junto de Sofia e Flavia, enquanto elas foram às compras. Ezio sentou em um banco, para descansar um pouco.

Enquanto Sofia e Flavia compravam alguns mantimentos, um jovem se aproximou de Ezio, repreendendo a cidade e as mulheres de Florença. Ezio cansado respondeu que o problema era o jovem, não a cidade. Imediatamente depois, Ezio ficou ofegante e pôs a Mão sobre o peito que estava doendo.

O jovem rapidamente agarrou a mão de Ezio e disse para ele ter coragem. Ainda disse para ele "descansar", se levantou do banco e saiu. Ezio olhou para trás com raiva, mas se acalmou rapidamente. Respirando pesadamente, Ezio olhou para Sofia e Flavia, sorrindo, ele encosta a cabeça no banco, e assim vem a falecer de uma maneira muito calma e tranquila.

Flavia é a primeira a perceber, e logo Sofia também percebe e logo corre até o banco, todos que estavam ao redor da praça também se juntam para ver o que aconteceu.

Ezio antes de morrer deixou uma carta para Sofia em cima da mesa de seu escritório que dizia:

"Quando eu era jovem, eu tinha liberdade, mas eu não via. Eu tinha tempo, mas eu não sabia. E eu tive amor, mas eu não sentia isso. Muitas décadas se passariam antes que eu entendesse o significado de todas as três. E agora, no crepúsculo de minha vida, esse entendimento passou para contentamento.

Amor, liberdade e tempo: uma vez para que descartáveis, são os combustíveis que me movem para frente. E o amor, mais especialmente, minha querida. Para você, nossos filhos, nossos irmãos e irmãs. E para o mundo vasto e maravilhoso que nos deu a vida, e nos mantém de adivinhações. Com afeto, minha Sofia.

Pra sempre teu,

Ezio Auditore. "

A animação contem dublagem em português ela não é oficial mas é de alta qualidade.

Assassin's Creed - Embers, Ubisoft Dublado PT-BR - Think Mind-021:31

Assassin's Creed - Embers, Ubisoft Dublado PT-BR - Think Mind-0

CaracterísticasEditar

Ezio era conhecido por sua boa aparência, a natureza coquete e predisposição para o mulherengo. Apesar da última parte de sua vida ser centrada em torno de sua caça para Rodrigo Borgia,

Ezio ainda conseguiu encontrar tempo para partilhar vários relacionamentos amorosos com várias mulheres diferentes.

Chrome 2010-08-21 15-43-56-15
Até 1476, Ezio teve muitos encontros com várias meninas sem nome florentino e cortesãs antes da execução da sua família; ele insulta Vieri de' Pazzi, sugerindo que sua irmã parecia "bastante satisfeita com o tratamento que ele deu a ela mais cedo." Naquele ano, Ezio estava em um relacionamento permanente com Cristina Vespucci, contra a vontade de seu pai. Após a sua briga de rua com Vieri de' Pazzi na Ponte Vecchio, Ezio visitou Christina durante a noite, apesar do irmão pedido de seu contrário, ele foi expulso por seu pai na manhã seguinte, e depois teve que fugir dos guardas. Dois anos depois, quando retornou a Roma, Cristina era casada com um dos seus pretendentes, Manfredo d'Arzenta, embora ela admitia que ainda amava Ezio. Dez anos mais tarde, quando Cristina e Manfredo viajaram a Veneza para o carnaval, Ezio, posando como seu marido, escreveu-lhe pedindo-lhe para vir para o Rio Terra degli Ogniscanti; Cristina o fez. Como ambos usavam máscaras carnevale, ela não reconhecê-lo até que ele a beijou. Ela então tirou a máscara e lhe perguntou como ele ousou beijá-la assim, dizendo que ela nunca quis vê-lo novamente. Quando Ezio tentou entender, ela explicou que se ele realmente a amava, ele não poderia simplesmente ter deixado Manfredo casar com ela. Ezio ficou profundamente magoado ao saber da morte de Cristina nas mãos de Girolamo Savonarola, durante a Fogueira das Vaidades.

Antes da reunião com Cristina, durante Carnevale, enquanto tentava encontrar uma maneira de Veneza, Ezio acompanhado de seu amigo, Leonardo da Vinci , de Forlì. Ele foi inicialmente recusado a passagem a bordo do navio para Veneza, mas sua sorte mudou depois de encontrar Caterina Sforza , que estava ilhada, com nenhum meio de escapar. Ezio resgatou ela, e ela devolveu o favor, concedendo-lhe passagem para Veneza. Ela também disse que na próxima vez que ele voltou para Forli, que seria "seu prazer" para entretê-lo. Momentos mais tarde, depois de Ezio revelou ao seu amigo que Sforza foi uma conquista futuro e seu tipo de mulher, Leonardo informou Ezio que ela era casada com o conde da cidade.

Quando chegou Ezio em Veneza pela primeira vez, uma jovem mulher desconhecida tentou, sem sucesso roubá-lo. Mais tarde no mesmo dia, Ezio testemunhou a mulher e um grupo de ladrões tentando escalar o Palazzo della Seta. A tentativa resultou em fracasso, e a menina foi baleada na perna por um arqueiro. Ao ajudá-la a obter a segurança, ele descobriu que seu nome era Rosa, e que ela era um membro dos ladrões da cidade. Na primeira, a atitude para com Ezio, Rosa foi muito agressiva e hostil, mas depois que ele a salvou, ela se tornou muito mais amável.Além disso, em algum momento durante sua estadia em Forlì, Ezio encontrou uma garota chamada Amelia. Durante este encontro, Amelia e dois de seus amigos estavam discutindo se alguém poderia bater seu recorde em uma corrida a cavalo. Ezio aceitou o desafio, em troca de um encontro íntimo com Amélia que ele deveria ser bem sucedido.

Ao tentar adquirir a máscara de ouro, Ezio foi visto flertando com muitas das cortesãs de Teodora. Após os desafios do carnaval, quando Ezio sobe para aceitar a máscara de ouro como prêmio pela vitória, ele foi acompanhado por uma cortesã. Após o assassinato de Marco Barbarigo e procuram refúgio no bordel, Ezio flertou Teodora, que convidou vários de suass jovens para o "conforto" com Ezio.

Em 1499, Ezio foi visto dormindo com Caterina Sforza.

CuriosidadesEditar

  • Quando o ACII acaba Ezio tem 40 anos, a idade do pai ao morrer.
  • Com o passar do jogo, você nota o envelhecimento de Ezio, que talvez seja o único que envelhece em Assassin's Creed II, ele tem rugas na testa, barba, e tem a voz mas grossa e tem um tom macio, além de falar mais devagar.
  • De todos os monarcas mencionados nos textos acima Ezio conheceu apenas os Reis Católicos da Espanha, o Rei Maomé XII de Granada e os sultões otomanos Selim I e Solimão I, estes antes de se tornarem Sultões.
  • Além do Papa Alexandre VI (Rodrigo Borgia), Ezio também conheceu o Papa Julio II (Giuliano della Rovere) que se tornou aliado dos Assassinos. Quando os assassinos começaram a sua batalha contra os Borgia, Cardeal Giuliano rapidamente se tornou um aliado da Ordem e os apoiou em seus esforços para derrotar as forças Borgia. Após a prisão de Cesare Borgia, Papa Julio II se reuniu com o Mentor dos Assassinos italianos, Ezio Auditore da Firenze. Julio, que estava ciente da Piece of Eden através de seu contato com Leonardo, decidiu que era melhor para que ela permaneça com os assassinos. A partir daí, fez a sugestão a Ezio de esconder o artefacto, de modo que ele não possa ser usado por futuras gerações.

Apesar disso, Julio II se opôs a decisão de Ezio de matar Cesare, pois Ezio ainda acreditava que ele era uma ameaça, apesar da prisão. Julio II mais tarde trabalhou para reconstruir Roma e reviver a cidade do estado decrépito que havia caído após o período de reinado Borgia.

  • No bloco de memória 13, se ouve mulheres dizendo coisas como se ele fosse um mito, ou se tivesse o talento do pai aquilo nunca teria acontecido.
  • Em Discovery, Ezio não tem barba.
  • O nome dele também significa Águia.
  • Em Assassin's Creed 2, ao usar a Altaïr Outfit, Ezio fica com 9 dedos, mesmo antes de conseguir a Hidden Blade.
  • Foi confirmado pelo escritor Darby McDevitt que Ezio e Altair não estão relacionados, mas vem de dois lados diferentes da família de Desmond, ainda que elas compartilham a mesma cara com pequenas diferenças, quando Ezio está em uma idade mais jovem.
  • A roupa de Ezio pode ser desbloqueada em Prince of Persia: The Forgotten Sands, via Uplay com 30 pontos.
  • Os nomes de Ezio e Altair têm significados semelhantes e origens. Altaïr significa "o voador/aquele que voa", enquanto Ezio significa "águia". Altair também vem do nome da estrela mais brilhante da constelação de Aquila (que também significa "águia").
  • Assim como Altair e Desmond, Ezio tem uma cicatriz em sua boca. Foi adquirida após a missão " Boys Will Be Boys "durante uma seqüência, quando Vieri de' Pazzi jogou uma pedra em seu rosto.
  • Ezio foi gravemente ferido na batalha duas vezes em ACII. O primeiro foi quando Checco Orsi o esfaqueou no lado direito de seu abdômen inferior durante a Batalha de Forlì. A segunda lesão foi recebida quando Rodrigo Borgia o esfaqueou no lado esquerdo de seu abdômen durante o confronto no Vaticano.
  • Em ACII, se o jogador escolhe jogar Sequence 13 antes Sequence 12 limpando o cache DLC, a barba de Ezio desaparecerá até que o jogador mate Checco Orsi.
  • Em ACII, uma falha muito rara, depois de completar a missão de mistura para Paola, a capa de Ezio irá aparecer para baixo quando é suposto ser para cima. Isso mostra que o modelo de caracteres para Ezio é o mesmo que Desmond.
  • Em Assassin's Creed II: Discovery , o Título de Ezio foi grafado, sua biografia o lista como "Ezio Auditore de Firenza "em vez de" Ezio Auditore da Firenze."
  • Em Assassin's Creed II: Discovery , apesar de ter lugar após a Batalha de Forlì, Ezio é retratado sem barba.
  • Embora Ezio recebeu o selo do assassino de policiais no dedo de sua mão esquerda do anel ao ser empossado na Ordem, esse some a partir de Assassins Creed: Brotherhood.
  • É revelado em Assassin's Creed: Brotherhood que Ezio pode falar um pouco de francês, já que havia "um par de meninas francesas em Roma."
  • O idioma nativo de Ezio era o italiano, mas sabe-se que Ezio conhecia palavras em latim, podendo ter sido fluente neste idioma devido a sua origem nobre, como dito acima sabe-se que também conhecia um pouco de francês. Ezio pode também ter tido fluencia em espanhol, já que viajou para a Espanha em 1492 e chegou a dizer para a sua mãe e irmã que elas deveriam viajar para a Espanha, logo após a morte na forca de seu pai e irmãos. Na sua viagem ao Império Otomano, Ezio menciona ter um conhecimento absurdo de turco (língua dos otomanos) mas que sua fluencia em grego (idioma dos bizantinos) era inexistente.
  • Em Assassin's Creed: Brotherhood , durante a sua infiltração de campo o Barão de Valois, Ezio é exigido por um guarda (devido ao seu sotaque peculiar francês) que ele diga de qual parte da França, ele é. Ele responde com "Montreal", que é uma referência a Ubisoft Montreal, a empresa responsável pela série Assassins Creed. Curiosamente Montreal se localiza na Província de Quebec, no Canadá, sendo que essa região do país foi colonizada pela França.
  • Ezio Auditore da Firenze teve dois filhos com Sofia Sator, Flavia Auditore, a mais velha e Marcello Auditore, o mais novo. Desmond Miles descence de Flavia, sua filha mais velha.
  • Em Assassin's Creed: Brotherhood ,  a única vez que você pode jogar com Ezio sem camisa é nos combates no Clube da Luta.
  • Na arte de Brotherhood, Ezio é mostrado com dois braceletes idênticos para suas Hidden Blades, no entanto, no jogo, não é possível obter um bracer para braço direito de Ezio que coincide com o primeiro.
  • Além disso, em Assassin's Creed: Brotherhood Ezio é mostrado com apenas uma espaldeira Seusenhofer à esquerda, enquanto o outro está ausente. Não é possível conseguir espaldadeiras para Ezio, de tal maneira no jogo.
  • Na novelização do Brotherhood, Ezio perde todas as invenções seu Codex (a Hidden Gun, a Hidden Poison, e a segunda Hidden Blade) durante o ataque Villa, mas no jogo, Ezio só perde a Armadura de Altair, Cestus de Metal e a segunda Hidden Blade.
  • Em TODOS os jogos, acontece algo com Ezio de modo a fazê-lo perder sua segunda Hidden Blade. Em Assassin's Creed: Brotherhood, é perdida em Monteriggioni junto à armadura de Altaïr. Em Assassin's Creed: Revelations, é perdida logo ao chegar em Masyaf pela espada de um Templário.
    • Da mesma forma, sempre que ele a recupera, ele recebe também um ou dois upgrades. Em Brotherhood, ele ganha a Poison Blade e Poison Darts. Em Revelations, ele ganha sua Hookblade.
  • Em Assassin's Creed Brotherhood , Ezio é capaz de realizar um salto de subir antes do ataque Villa, mas requer o Glove Leap de Leonardo, subseqüente ao ser ferido.
  • Ezio foi ferido em batalha, mais uma vez - dois ferimentos de bala de arcabuzeiros, que ele sofreu no ombro esquerdo e de volta ao cerco de Monteriggioni.
  • Ezio aparece brevemente no final de Assassins Creed: The Secret Crusade onde ele termina de ler a revista de Nicolau Polo e chega em Constantinopla, na criação do quarto romance.
  • Em Assassin's Creed: Revelations , Ezio não usa uma capa em seu ombro esquerdo como ele faz nas tramas anteriores, mas usava no E3 quando chegou em Masyaf.
  • Revelations é a única parcela em que Ezio veste uma roupa onde a aparência padrão de suas vestes não é branco.
  • Em Assassin's Creed: Revelations , como mostrado no Trailer para a E3, Ezio não terá a Segunda Hidden Blade, e sim uma Hook Blade, o que permite uma aprimoração, toque a mais em seu Le Parkour.
  • Quando o Assassin's Creed: Revelations acaba Ezio tem 52 anos.
  • Em Assassin's Creed: The Fall Ezio aparece como uma estátua no prédio do O mentor e ao lado de Ezio tem uma estátua de Iltani.

Ao redor da rede Wikia

Wikia aleatória